A profissão de secretariado no exercício da cidadania




Por Betânia Sousa


              A responsabilidade e a conscientização de ser cidadão é intransferível e diante da sociedade em que vivemos é bem visível o papel de um indivíduo que se preocupa com a cidadania. Não basta somente dizer que é um cidadão é preciso ter ações concretas. Um dos exemplos mais conhecidos no Brasil foi a luta de Betinho. Além de ter consciência de seu papel na sociedade, ele conseguiu mobilizar pessoas e entidades. No entanto, são poucos os indivíduos que fazem acontecer dessa forma. O meio social precisa de indivíduos que façam a diferença e o profissional de Secretariado tem um papel fundamental nesse quesito, pois é uma profissão dinâmica que necessita de profissionais apaixonados pela sua atividade e principalmente que estão em busca constante de crescimento tanto pessoal, como profissional.


            Por isso é fundamental que esse profissional seja exemplo no ambiente de trabalho desde o uso consciente do copo de plástico ou na economicidade do uso do papel de impressão, por exemplo. Isso irá influenciar e impactar nas relações com os colegas de trabalho. E qual é a sua postura no meio de transporte que você usa, na sua casa e em seu local de trabalho?


               Um exemplo aconteceu comigo. Outro dia estava na rua com meu filho de quase 3 anos e ele tirou o plástico da balinha e a jogou no chão. Imediatamente minha reação foi falar “não, filho!” Ele momentaneamente se assustou e disse: “o que foi mamãe?” Respondi, perguntando: “filho, por que você jogou o papel no chão se mamãe e papai já ensinaram o motivo de não jogarmos nada na rua?” “Esqueci, mamãe. O João, meu coleguinha, sempre joga coisas na rua.” Depois que ele pegou o plástico, pedi a ele para explicar ao João, tudo que a mamãe falou. Como o coleguinha do meu filho não faz parte do nosso convívio diário e sei também que ele convive com os colegas da creche, eu posteriormente conversei com os responsáveis da escola para reforçarem e aguçarem a prática de responsabilidade social na escolinha. Desde cedo aprendi a separar o lixo, não jogar nada na rua e cuidar do meio ambiente. Assim, não basta o ensinamento somente em casa. Esse é um trabalho em conjunto com a família, escola e comunidade em geral.


             A importância de sermos profissionais de secretariado engajados em fazer a diferença é muito significativa, pois também somos conhecidos pelos nossos atos. Eles fazem parte de nossa imagem e cabe a nós decidirmos em qual imagem queremos ser atrelados. É necessário refletirmos, pois para cada atitude que tomamos, sempre haverá um reflexo, seja negativo ou positivo. E você? É aquela pessoa que faz a diferença ou para não sofrer repressão do meio em que vive prefere seguir o ritmo dos outros? Temos um papel relevante, pois somos responsáveis sobre o que devemos deixar para a próxima geração. Hoje temos água potável e amanhã? O que ficará para nossos netos?  Devemos exercer nosso papel, independente do meio social no qual que vivemos.


Sobre a autora: Bacharel em Secretariado Executivo Bilíngue pela FAJESU. Mestranda em Educação pela Universidad Internacional IberoamericanaEspecializando em Gestão de Marketing e Comunicação Integrada. Coordenadora do grupo de estudo do Comitê de Secretariado do DF.  Atualmente, atuo como Secretária Executiva no Executivo Federal.

23 visualizações

© 2016 por Comitê de Secretariado Executivo do DF. Orgulhosamente criado por Wix.com