NO TEMPO CERTO!



Nesse mês de maio farei 25 anos! É a idade da complexidade, onde você não sabe se está adiantada, atrasada ou apenas no tempo certo; se está no caminho que escolheu ou que os outros escolheram para você; se tudo que fez, e ainda está fazendo, é exatamente o que você quer. Muitos já se sentem velhos demais para começar algo e que os últimos dez anos foram um desperdício, outros acham que é só o início de tudo. Aos 25 anos tudo que tinha para errar, sofrer e amadurecer já aconteceu, ou não. Talvez o pior ainda esteja por vir, e foi lendo o livro “A Sutil arte de ligar o foda-se” de Mark Manson que eu compreendi que problemas você sempre terá e tem que esperar por eles, a diferença será como você vai estar preparado para agir; espere ter problemas em todas as situações, caso não houver sairá no lucro, e se tiver, você já terá uma solução.

Um pequeno texto de autor desconhecido também me fez refletir nesses últimos dias.


Obama se aposentou aos 55 anos e Trump começou aos 70.

Nova York está 3 horas à frente de Los Angeles, mas isso não torna Los Angeles mais lenta.

Alguém se formou aos 22 anos, mas esperou 5 anos para conseguir um bom trabalho. Alguém se formou aos 30, mas já trabalhava em sua área desde os 18.

Alguém se tornou empresário aos 25 anos e morreu aos 50 anos.

Enquanto outro se tornou dono do seu negócio com 50 anos e viveu até 90 anos.

Alguém ainda está solteiro aos 40, enquanto outra pessoa se casou bem jovem.

Todos neste mundo trabalham com base no seu fuso horário.

As pessoas ao seu redor podem parecer estar à sua frente,

Alguns podem parecer estar atrás de você.

Mas todos estão executando sua própria corrida, em seu próprio tempo, não os inveje e não os zombe.

Eles estão no fuso horário deles e você está no seu.

A vida se resume em esperar o momento certo para agir.

Então, relaxe:

Você não está adiantado.

Você não está atrasado.

Você está no tempo certo.

Você está no seu tempo.”


Então, como dizem, estou vivendo o “inferno astral”, passei as últimas semanas bem reflexiva sobre os últimos dez anos, sobre tudo que eu pensava em ser, sobre tudo que eu queria ter. E percebi que sempre fui muito bem resolvida nas questões profissionais, seguir o caminho certo e estou onde há dez anos eu teria orgulho de mim. E são poucos que ainda na adolescência já sabem o que fazer, e como fazer. Ter foco e disciplina exige de nós muita força de vontade. E refletindo mais a fundo eu lembrei de três frases ditas pelo meu pai.


- “que mulher tem de pensar alto, e se quer casar com homem bem de vida ela primeiro tem que ser bem de vida, tem que ter e ser alguém.”

- “que o homem tem que fazer três coisas na vida, “plantar uma arvore, escrever um livro e ter um filho.”

- “que o homem, para ser rico, tem que empreender e não vai ser trabalhando para os outros, ganhando a mesma coisa todos os meses, que sua renda vai aumentar”.


São frases dentro da percepção e da realidade dele, mas que, sim, fazem sentido.

Aos 15 anos eu era uma adolescente introspectiva e não falava dos meus desejos para meus pais, mal sabiam eles que eu já tinha tudo planejado, eu já estava escrevendo um romance do qual terminei aos 18 anos, eu já sabia que queria cursar Secretariado Executivo e me imaginava fazendo todas as coisas atrelada a profissão, eu já sabia que queria empreender e que faria algo diferente, já sabia qual caminho seguir para conseguir o que eu queria, e essas poucas frases apenas reforçavam aquilo que eu queria fazer do meu futuro. Os valores familiares contam muito para a nossa formação como pessoa e também refletem em nosso profissional.

Logo, passei esses dez anos correndo uma maratona, errei, acertei, quebrei a cara e aprendi, formei, casei, empreendi, formei de novo, sigo em busca dos meus objetivos, pensando alto, mantendo o foco e sendo grata por todos os erros e pelas pessoas boas e más que me fizeram amadurecer. Cheguei lá? Não, ainda não. Sigo na maratona e sinto que estou na metade do caminho. Mas quando eu atingir, eu vou dobrar a meta, porque viver é isso, é uma evolução constante.

Ainda quero publicar um livro, plantar uma árvore, voltar a empreender, fazer inúmeros cursos de aperfeiçoamento, pós-graduação, trabalhar nas áreas que escolhi para mim há muito tempo, viajar o mundo, motivar, inspirar e encantar pessoas, ter sucesso, o meu sucesso, contribuir para um mundo melhor e ser melhor a cada dia. Parecem frases de discursos de miss, mas são coisas que me fazem feliz, são coisas que eu sei que serão o meu sucesso, a minha luta e a minha glória.

Ainda faltam metas a serem atingidas e está tudo bem, porque estou fazendo as coisas ao meu tempo, dentro da minha capacidade, dentro da minha realidade. O importante é não desistir, para daqui a dez anos, aos meus 35 anos, eu poder dizer que tudo valeu a pena; olhar pela janela e ver uma árvore dando frutos, olhar para a minha estante e ver meu livro junto aos demais, perceber que inspirei outras pessoas, poder ver que fui e estarei sendo uma ótima pessoa, profissional, amiga, irmã, filha, esposa e quem sabe uma ótima mãe.


Então reflita também sobre seus últimos dez anos e veja o quanto você mudou para melhor, evoluiu como pessoa ou como profissional, e se não está contente, lembre-se: nunca é cedo ou tarde demais para começar a fazer a diferença para você e na sua vida, nunca é cedo ou tarde demais para qualquer coisa, você pode tudo aos 15, 20, 25, 30, 35, 40... anos. Busque dentro de você tudo aquilo que já sonhou fazendo e não desista.



Por Adriana Braga

Revisado por Pâmela Mezzomo


43 visualizações