Postura Profissional e Solidariedade



Por Ângela Scórsin


Há alguns dias tenho visto uma postagem nas redes sociais com a seguinte mensagem: “Você sabia que ajudar um colega da mesma profissão não gera concorrência? Gera admiração”. Então. Essa frase mexe comigo.


Infelizmente, algum tempo atrás, tive uma colega que foi sempre muito grosseira comigo. Na época ela era a secretária nº 1, digamos assim, e eu a nº2. O meu chefe era subordinado ao dela. Pois bem, sempre que eu precisava de alguma informação ou pegar um documento era um suplício, sabia que seria recebida com pedras e mais pedras na mão; mas graças a Deus sou uma pessoa tranquila e faço qualquer coisa para não entrar em conflito com ninguém.


Após uma reestruturação na empresa o chefe dela saiu e ela ficou esperando outro chegar, só que o outro a ocupar o cargo foi o meu. Mas o que ela não contava é que ele me levaria junto e ela foi trabalhar com o novo adjunto. Pois é meus amigos, nada como um dia após o outro…Agora eu estava como a secretária nº 1.


Sabe aquelas pedras? Eu as guardei e com elas construí uma ponte repleta de flores e daí por diante a tratei com muita, mais muita gentileza até chegar o dia que ela me pediu desculpas por tudo, eu aceitei, claro. Ela me disse palavras bonitas e o elogio dela foi que admirava minha humildade e generosidade.


Mencionei isso porque essa concorrência acontece em todas as profissões, mas dentro do nosso contexto secretarial é muito forte e isso me deixa triste. Já ouvi e vi vários casos de puxadas de tapetes envolvendo omissão de informação, roubo de ideias, fofocas pessoais e desmotivação em relação ao trabalho.


Gente!!! Como podemos requerer do mercado respeito a profissão, se nós mesmos não nos respeitamos? Isso eu chamo de falta de ética profissional. Poxa! Tem espaço para todos. O mercado está seleto sim, mas cabe a nós fazermos algo diferente. Cada um tem seu marketing pessoal, o que vai fazer o gestor te escolher é justamente o perfil de colaborador, ou seja, que colabora com todos.


Volto a falar, pois já disse isso em outro artigo, as organizações querem profissionais com perfil para trabalhar em equipe, com liderança, equilíbrio emocional e criatividade.


Nada mais bonito em um ser humano que a solidariedade. Seja solidário com seu colega de profissão. Vamos dar as mãos em uma corrente de paz. Vamos ajudar os colegas com menos tempo de experiência, dando dicas e sugestões, motivá-los a buscar um diferencial e, se tiver que concorrer conosco, porque não? É preciso ter bom senso em relação as nossas atitudes.


Eu já perdi uma vaga para uma colega e fiquei feliz por ela, pois eu sabia que ela tinha competências que eu não tinha e isso foi justo. Sim, vamos ser justos conosco.


Nós somos responsáveis pelos nossos atos. Sei que é difícil, mas podemos tentar. Eu sinto uma gratidão na alma quando consigo ajudar um colega a entrar no mercado de trabalho e mais ainda quando escuto de alunos a vontade de se tornarem secretários. Faz bem ao coração a paixão de participar do trabalho magnífico que o COMSECDF faz em prol do secretariado.


Então, vamos nos unir em prol de um objetivo que é ter o respeito e reconhecimento do mercado de trabalho.


Por Ângela Scórsin

Revisado por Pâmela Mezzomo

68 visualizações

© 2016 por Comitê de Secretariado Executivo do DF. Orgulhosamente criado por Wix.com